29 Julho, 2014

O que fazer...

... Quando acordamos com vontade de falar com alguém que já cá não está?
O que se faz a estas palavras todas que se acumulam na garganta, a esta sensação de nos estarmos a afogar, sem podermos pura e simplesmente abrir a boca e dizer o que tínhamos para dizer...
Dizer o quê? Nada em especial, apenas falar da vida, do tempo, das coisas que me apetecem fazer com este calor, das lides caseiras, pedir conselhos e opiniões... o tudo e o nada que sabe tão bem conversar com uma mãe...
... Fazes-me tanta falta mamã!!!!!

09 Julho, 2014

46 já cá cantam...


Mais um dia, mais um ano... já são 46... que venham outros tantos, mas com saúde e genica e na companhia da minha família, a de sangue e a de coração, que é o que me dá alegria!
Obrigado a todos os que se lembraram de mim, um beijo muito grande e que no próximo ano cá estejamos todos, de novo, a festejar mais um aniversário!

22 Junho, 2014

Adeus mamã...

Hoje despedi-me, simbolicamente, da minha mãe... simbolicamente porque foi hoje o funeral a que optei por não ir!
Fui brevemente informada ontem à noite de que ela tinha falecido durante esta semana, devido a uma queda em que partiu um fémur (desta parte esqueceram-se de me avisar atempadamente) e que o funeral seria hoje, percebi, portanto, de que a minha presença não era desejada.
Não ia dar apoio a ninguém, ninguém me iria apoiar a mim, não queria assistir a actos hipócritas de tristezas fingidas, não a queria recordar morta, não senti necessidade de aparecer só para cumprir com obrigações sociais e ficar bem no boneco... a minha necessidade era ter estado com ela nos últimos dias, ter-lhe dado mimo, ter-lhe dito mais uma vez o quanto a amo!
Se vou ser criticada? Vou, claro que sim! Mas são criticas de quem nunca mais vou ver ou saber na vida! O elo que nos unia quebrou-se, fui definitivamente posta de parte... não me faz diferença, quem eu queria já cá não está...
O que me alivia o coração, acredite-se ou não e ela acreditava, é sabe-la finalmente junto ao amor da sua vida, a sua grande paixão, por quem chorava de saudade há 32 anos: o meu pai!
Estejam onde estiverem, juntos, que me guiem e me protejam, às minhas filhas e ao meu marido!
Até um dia mamã! Amo-te muito!!!




10 Março, 2014

Semana azarada!

Primeiro vieram as dores de cabeça e no corpo, devagarinho, a insinuarem-se, até se tornarem omnipresentes. A seguir uma noite febril, a tosse que não deixa dormir e que mói o corpo...
Quando parecia que a coisa estava a melhorar, puf, fico sem pio, quase afónica, o som que sai, se tento fazer-me ouvir decentemente, faz lembrar algo como um ganso a grasnar!
Ok, penso eu, menos mal, antes sem voz do que dorida e com febre... tumba, toma lá um nariz bem ranhoso que é para não julgares que isto já acabou! Seguem-se rolos e rolos de papel, que não há lencinhos que cheguem,  a sensação de que o miolo está liquefeito e a sair por um pobre nariz vermelhão e a pelar.
E julgam que é só? Não, não podia ser, que eu quando faço destas coisas nunca me fico por pouco: Hoje, do lado mais entupido, começo a sentir o olho assim a modos que inchado, muito sensível, a começar a arranhar. Pronto, sai uma conjuntivitezinha para se juntar à festa!
Agora digam-me: numa semana que esteve linda de sol e calorzinho bom, alguém merece estar doente????

17 Fevereiro, 2014