23 março, 2015

E como o prometido é devido...

... Aqui ficam algumas imagens do primeiro mini-concerto da Ana!



video




video

P.S. - Houve alguns problemas técnicos com o som do microfone

19 março, 2015

Feliz dia do Pai!

 Aos dois homens da minha vida...


O meu pai, o meu herói, que me ensinou a sonhar e a querer voar mais alto, que me amou incondicionalmente e cujo colo era o meu trono!


O meu marido, pai das minhas filhas, que as apoia, protege e ama mais que tudo na vida!


18 março, 2015

The A Team - Ed Sheeran (cover Anna Baptista)


Fico sempre tão babada a ver este vídeo da minha Ana!

Tinha 11 anos, estava constipadita e mesmo assim consegue dar o ar da sua graça!

Este sábado vai dar o seu primeiro mini-concerto com a banda que se formou na Musimusa. É no Motoclube do Montijo, às 22h!

17 março, 2015

Dia Calimero...

Isto hoje não anda lá a correr muito bem, não anda não...

O meu "dia" começou por volta das 4h da manhã. Acordei nem sei bem porquê, com a sensação de já ser hora de levantar, olhei para o relógio e voltei a aninhar-me, preparada para continuar o meu soninho, só que o meu cara-metade ressonava a bom ressonar e por mais encontrões, abanadelas e cotoveladas que levasse nem acordava nem parava de ressonar! Para não variar e como acontece quase sempre nestes casos, já muito perto da hora do despertador tocar é que finalmente consegui adormecer! Levantei-me às 6h com uma dor de cabeça de caixão à cova!
Na volta a casa, depois de entregar a minha malta nos devidos destinos, começa a chover com força, as estradas começam a alagar. Chego e lembro-me da gatinha Morgana que teve um bebé este fim de semana e que fez de uma carpete velha atirada a um canto do quintal a sua toca, vou espreitar e descubro-os completamente encharcados! Faço-lhe uma casinha com uma transportadora enfiada num saco de plástico, para isolar, e com um bom cobertor a encher... convencer a gata a ficar lá dentro é que foi outra conversa... tive de esticar a carpete no chão para que ela não fosse lá enfiar de novo o bebé e só depois de várias tentativas é que ela se convenceu a ficar na nova casinha. No entretanto o meu casaco já tinha deixado de ser impermeável há muito! Toca a fugir para casa, encharcada até aos ossos e a bater o dente de frio!
Depois de seca, de roupa mudada, chão lavado (que estava tudo patinhado), resolvo, finalmente, sentar-me no sofá a ver um bocadinho de tv, a beber uma bela caneca de café quentinho e comer uma fatia de bolo... estico uma mantinha para meter em cima dos joelho, pimba, caneca ao chão, café por todo o lado... Mais uma vez toca a lavar chão, o que vale é que a sala até ficou com um cheiro bom a café!
Agora está quase na hora de ir buscar a mais nova à escola. Continua a chover e vamos lá ver o que mais me irá acontecer!

11 fevereiro, 2015

Madrugar...



Cá por casa o despertador toca às 6h da manhã desde que começou o ano lectivo.
Nos primeiros tempos até nem custou muito: alterámos as nossas rotinas para nos deitarmos mais cedo e de manhã levantava-me de um salto, fresca que nem uma alface para acordar o resto da "tropa"... mas à medida que o Inverno foi chegando, os dias a ficar mais curtos, escuros, frios, chuvosos, madrugar tornou-se para mim um sacrifício, uma luta com o despertador! Uma parte minha sabe que tenho de me levantar, que já é hora, mas a outra diz que não, que ainda é noite e que a noite é para dormir e que se está mau tempo lá fora é para ficar dentro do ninho, no quente!
Decididamente, preciso de luz e de calor para ter energia e andar feliz e, apesar de até gostar de me levantar cedo, não gosto de madrugar. Ao contrário do que diz a maioria dos madrugadores, as manhãs não me rendem, ando em modo zombie até à hora de almoço, se me sento, imediatamente me dá uma soneira brutal!
Hoje não é excepção... depois de já ter levado marido e filha mais velha ao barco, aqui estou eu, enrolada numa mantinha, mais para lá do que para cá, à espera da mais nova para a levar à escola, depois... depois é fazer um esforço hercúleo para me atirar às lides do dia-a-dia e ter esperança de não adormecer aí para um qualquer canto!